Neste segundo volume da Publicação Software e Serviços de TI: A Indústria Brasileira em Perspectiva, reitera-se a importância da metodologia utilizada pelo Observatório SOFTEX. O ponto de partida é a Classificação Nacional das Atividades Econômicas (CNAE). A CNAE baseia-se em padrão internacional, a ISIC (International Standard Industry Classification), o que permite que os dados referentes à Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI (IBSS) sejam comparados com os de outros países que utilizam o mesmo padrão. É o caso de vários institutos oficiais de pesquisa, da OECD (Organisation for Economic Co-operation and Development) e da Eurostat (Gabinete de Estatísticas da União Européia).

A partir da definição de âmbito da IBSS, baseada na CNAE, o Observatório SOFTEX consegue cruzar dados provenientes de várias pesquisas realizadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), parceiro na empreitada de conhecer e monitorar os avanços da IBSS. Parte significativa dos dados utilizados pelo Observatório SOFTEX tem como fonte a Pesquisa Anual de Serviços (PAS) do IBGE. Mas várias outras pesquisas do IBGE também foram consultadas: PSTI 2009, PINTEC 2005 e 2008 e PIA 2009, além do Cadastro de Empresas do Instituto, o CEMPRE. Em muitos casos, foram solicitadas tabelas especiais, com aberturas diferentes daquelas obtidas diretamente nas publicações das pesquisas.

Através do conceito CNAE, é possível cruzar dados coletados nas pesquisas do IBGE com dados provenientes de registros administrativos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), sobre o mercado formal de trabalho. Neste volume, utilizam-se as bases do MTE, RAIS, Raismigra e CAGED, para mapear e monitorar o mercado formal de trabalho na IBSS.

Obtenha aqui o relatório completo, em formato .pdf, na versão de sua preferência:

- Texto completo, apenas em português, com 478 páginas (.pdf com 6,42 Mb de tamanho)

- Texto resumido em português e alemão, com 39 páginas (.pdf com 2,29 Mb de tamanho)

- Texto resumido em português e inglés, com 39 páginas (.pdf com 2,30 Mb de tamanho)

Acesse aqui a primeira edição deste trabalho, publicada em 2009