Inspiração nas demandas de usuários e clientes

Quando lançamos o software experimental SuperBINA em meados de 2013, sem nenhum alarde nem publicidade, a expectativa era que ele atingisse alguns centos de usuários. Entretanto, em menos de seis meses ele ultrapassou a marca de dois mil usuários. Este software permite consultar gratuitamente os dados de cadastro correspondentes a um número de telefone por vez (fixo ou celular), com base nas informações disponíveis na MBI, abrangendo pouco mais de cem milhões de números (cerca de um terço do total de linhas existentes no país).

Ao mesmo tempo que a base de usuários superou as expectativas, recebemos pedidos de dois tipos: os usuários desejam ter disponível outros tipos de busca, enquanto os desenvolvedores desejam incluir a funcionalidade disponível dentro de seus próprios sistemas. Detalhando: usuários pediram para disponibilizar mecanismos de busca por nome de pessoas (para encontrar pessoas com as quais perderam contato, por exemplo), enquanto que desenvolvedores de sistemas que envolvem números de telefone (como por exemplo, sistemas de call center ou de recepção de pagamentos em cheque) pediram que a disponibilidade de SuperBINA pudesse estar disponível para eles. Ainda, a MBI foi procurada por empresas detentoras de outras bases de dados, interessadas em distribuir suas informações ao público por intermédio da base de usuários de SuperBINA.

Assim, na virada de 2013 para 2014, abandonamos a idéia original de evoluir SuperBINA simplesmente de acordo com a metodologia 'lean': para atender a todas essas demandas, a arquitetura de software em uso era claramente insuficiente - concluímos que era necessário dispor de uma camada adicional, entre a aplicação em mãos do usuário, e as bases de dados sendo consultadas. Assim, as informações de cada base de dados estariam disponíveis para todos os sistemas (SuperBINA e os de terceiros), ao mesmo tempo que o controle de acesso às informações seria comum a todos os sistemas.

A maior parte do primeiro semestre de 2014 foi dedicada então à busca de uma plataforma de gestão de transações na nuvem, que pudesse ser incorporada ao projeto. Concluímos essa busca bastante surpresos: no mercado global de software existem apenas sistemas denominados de gerenciadores de APIs ('API managers', em inglês), cuja funcionalidade cobre cerca de 15% da que considerávamos necessária. Nossas pesquisas foram estendidas a bases de dados de patentes e de publicações acadêmicas, sem encontrar qualquer solução mais próxima das nossas necessidades.

Passamos então a desconfiar que tínhamos encontrado uma importante oportunidade, e passamos a documentar as especificações da plataforma que considerávamos necessária. Mais, compartilhamos essas especificações com diversos especialistas em desenvolvimento de sistemas, tanto para atestarmos que a nossa incapacidade de encontrar uma solução pronta não era fruto de nossa incompetência, como para validar as idéias documentadas. Esse processo de crítica e revisão da especificação foi completado em novembro de 2014, com a certeza adicional que a plataforma especificada seria útil tanto para desenvolvedores de software profissionais (que vivem de vender o mesmo software para muitos clientes) como para os desenvolvedores de sistemas para uso corporativo (desenvolvimento sob medida).

Diante desse cenário resolvemos então, em dezembro de 2014, arcar com os custos do desenvolvimento de uma primeira versão da plataforma especificada com recursos próprios da MBI. Agora, em dezembro de 2015, esse desenvolvimento encontra-se concluído - a plataforma já está operando em caráter beta. Porém, seu anúncio oficial só ocorrerá após completarmos o processo de requisição de patente: esta plataforma representa uma importante inovação, que será a pedra fundamental de diversos lançamentos em 2016 e nos anos subseqüentes, incluindo uma nova versão de SuperBINA, que incluirá todas as possibilidades solicitadas por usuários e desenvolvedores.

 

Nota: queremos registrar aqui, publicamente, nossos agradecimentos a todos aqueles que nos auxiliaram ao longo do processo de criação desta importante inovação, tanto dedicando horas de seu tempo a avaliar idéias, contribuindo com materiais importantes, e, principalmente, à empresa Dualtec Cloud Builders (www.dualtec.com.br), que disponibilizou toda a infraestrutura necessária para concretizar as nossas idéias.


Publicado originalmente em
esta página do site da MBI