Conclusões

Os resultados desta pesquisa permitem concluir que a grande maioria dos profissionais de TI espera que 2012 seja um ano positivo para eles: quase metade esperam ser promovidos ao longo do ano; esperam também que sua remuneração anual cresça de forma significativa (acima de 15%), e que o investimento (próprio ou do empregador) na sua qualificação profissional cresça de forma importante.

Do ponto de vista dos temas de interesse para a evolução técnica destes profissionais, a pesquisa revela que os três principais focos de interesse são cloud computing, desenvolvimento para plataformas móveis, e virtualização de servidores. Embora o nível de interesse varie conforme o setor de atividade econômica das empresas e/ou o tempo de atuação destes profissionais em seus cargos atuais, esses são os três temas considerados prioritários consistentemente.

A seguir, apresentamos os resultados da pesquisa de forma detalhada.

Resultados

Perfil dos profissionais entrevistados

Tempo de atuação como profissionais de TI

É importante observar que o público abordado não é composto por profissionais iniciantes, mas na sua maioria por profissionais já experientes no mercado.

Setor econômico das empresas

Do ponto de vista da atividade econômica das empresas onde estes profissionais atuam, os resultados a seguir indicam que a amostra é bem representativa da realidade do mercado, com profissionais espalhados por todos os setores da economia. Adicionalmente, os profissionais que atuam em empresas do próprio setor de TI representam cerca de um quarto do total.

Os restantes três quartos do mercado são liderados pela indústria e o setor de serviços, na amostra da pesquisa.

Tempo dos profissionais na posição atual

As respostas obtidas para a questão referente ao prazo de tempo no qual estes profissionais ocupam suas posições atuais, revela que pouco mais da metade deles ocupam sua posição atual há no máximo cinco anos.

As duas faixas superiores correspondem a cerca de 21% do total dos profissionais.

Dada a distribuição relativamente uniforme das respostas a esta questão, ela será usada em seções subsequentes como base para algumas análises cruzadas, procurando verificar variações nas respostas a outras questões em função do tempo que os profissionais ocupam sua posição atual.

Expectativas de carreira para 2012

Nesta seção agrupamos as perguntas relativas às expectativas de carreira dos profissionais ao longo de 2012.

Promoções

Ao questionar os profissionais sobre as expectativas de obter uma promoção na sua carreira, os resultados foram muito otimistas:

Quase 45% dos entrevistados esperam receber uma promoção ao longo do ano de 2012, enquanto outro terço espera que isso aconteça dentro de um a três anos. Em outras palavras, 78% dos profissionais esperam ser promovidos nos próximos três anos. A comparação com os resultados da pergunta referente ao tempo em que ocupam sua posição atual, entretanto, revela que esta expectativa pode ser otimista demais: apenas 40% dos profissionais ocupa sua posição atual há menos de três anos.

Quando comparamos estas respostas com o tempo que os profissionais ocupam sua posição atual, obtivemos estes resultados:

Eles revelam que os profissionais que foram efetivamente promovidos nos últimos três anos, esperam uma repetição em até três anos. Já os profissionais que ocupam sua posição atual (barras em lilás) são justamente maioria entre os profissionais que esperam ser promovidos em prazo maior. Podemos entender então que existem dois grupos de profissionais de TI: aqueles que recebem promoções periódicas em períodos entre três e cinco anos, e aqueles que só são promovidos em períodos superiores a dez anos (ou até já perderam as esperanças quanto a isso).

Expectativa de remuneração para 2012

Ao questionar os profissionais sobre suas expectativas de remuneração para 2012, as respostas também revelaram um otimismo significativo:

Apenas 18% do total dos profissionais responderam que não esperam por aumentos. Dos 82% restantes, pouco mais da metade esperam aumentos pouco maiores que a inflação prevista para o ano (na faixa de até 15%). Entretanto, 35% do total dos entrevistados esperam aumentos superiores a 15%.

Atração para novas posições

Fechando este grupo temático de questões, exibimos a seguir os resultados obtidos para a questão referente ao principal fator que faria com que os profissionais de TI considerassem uma nova posição no mercado, mudando de empresa ao longo de 2012.

Quase um quarto dos profissionais optou por responder que preferiria ficar na empresa na qual se encontra. Entre aqueles que consideram válida a mudança de empresa ao longo de 2012, as respostas mais frequentes indicam que a motivação passa principalmente pela oportunidade de lidar com novas tecnologias, seguida pela dupla clássica vinda de Recursos Humanos: aumento de remuneração e melhoria do ambiente de trabalho.

Investimentos na qualificação profissional

Nesta seção apresentamos os resultados referentes às questões que lidam com a variação do investimento na qualificação dos profissionais de TI.

Investimento próprio

Quando questionados sobre a expectativa que os profissionais possuem para 2012, em relação ao investimento que eles próprios farão em sua qualificação técnica, as respostas revelam que quase metade deles pretende aumentar esse investimento ao longo do ano:

Apenas 11% dos profissionais entrevistados tem a expectativa de reduzir o seu investimento na qualificação profissional.

Investimento dos empregadores

Quando questionamos sobre a mesma perspectiva, mas contando com investimentos na qualificação por parte das empresas onde estes profissionais trabalham, os resultados não mudam muito.

Entretanto, embora os números continuem bastante otimistas, a fatia de empregadores para os quais se espera um aumento de investimentos é de 38% (contra 49% para os profissionais), enquanto a fatia de empregadores que deve diminuir os investimentos é de 16% (contra 11% para os profissionais).

Esses números confirmam a continuidade de uma tendência já detectada há anos: a responsabilidade pela qualificação técnica dos profissionais de TI tende a ser, ano a ano, cada vez mais responsabilidade dos próprios profissionais, do que das empresas onde eles atuam.

Temas buscados para aperfeiçoamento

Neste último conjunto de perguntas, questionamos os profissionais de TI sobre os assuntos nos quais eles devem buscar seu aperfeiçoamento técnico ao longo de 2012.

Ambientes demandados

Inicialmente questionamos sobre os ambientes técnicos dentro dos quais os profissionais de TI pretendem se aperfeiçoar em 2012.

As plataformas móveis lideram as respostas, seguidas de perto pelos ambientes Linux e Microsoft: as três plataformas foram selecionadas por cerca de 40% dos profissionais.

O número médio de respostas por profissional ficou próximo a dois, indicando quão complexa é a realidade profissional de TI.

Quando comparamos estes ambientes selecionados para aperfeiçoamento com o tempo que os profissionais ocupam sua posição atual, obtivemos os resultados seguintes:

Eles revelam uma preferência maior pelas plataformas móveis por parte dos profissionais mais experientes, em contraposição a uma participação maior nas preferências pelo ambiente Linux por parte dos profissionais com nível de experiência menor.

Chama a atenção ainda a ausência de profissionais com dez ou mais anos de permanência na posição atual nas plataformas Unix, Apple e mainframes IBM. Podemos interpretar este fato como uma dica de que as empresas que operam nestas plataformas são as que promovem seus profissionais de TI de forma mais consistente; ou são estas empresas que possuem uma rotatividade maior de seus profissionais?

Tecnologias buscadas para aperfeiçoamento

Quando questionamos sobre tecnologias específicas nas quais os profissionais de TI pretendem se aperfeiçoar em 2012, as respostas se concentraram em apenas três tecnologias:

Cloud Computing, Plataformas móveis e Virtualização de Servidores são os principais ‘objetos do desejo’ . Num segundo grupo de temas, com interesse indicado em valores próximos a metade do grupo dos líderes, encontram-se o desenvolvimento para a Web, e os temas relacionados a software livre (aplicativos e sistemas operacionais).

No intuito de qualificar melhor estas respostas, cruzamos elas tanto com o tempo que os profissionais ocupam seus cargos atuais, como também com a atividade econômica das empresas.

Do cruzamento com o tempo na posição atual, obtivemos os resultados exibidos a seguir:

Esses resultados revelam uma variação muito menor do que no caso das preferências por ambientes: em todas as faixas de tempo de experiência, o número total de repostas oscila entre 2,5 e 3 por entrevistados, sendo que apenas entre os profissionais com menos de um ano na posição atual, o número médio de respostas se encontra próximo a dois. Isto pode ser interpretado como resultado do esforço em qualificação anterior à promoção, que ainda não foi totalmente ‘devolvido’ para as empresas após a promoção.

Finalmente, ao comparar as temáticas desejadas para aperfeiçoamento técnico pelos profissionais com o setor de atividade econômica das empresas onde atuam, os resultados abrem outras perspectivas:

Em primeiro lugar, os resultados reforçam o interesse maior dos profissionais de TI que atuam no setor público pelos temas relacionados a software livre e desenvolvimento para a Web (barras marrons).

De outra parte, os profissionais que atuam em empresas do setor de TI atingem índices importantes de interesse em Cloud Computing e Plataformas Móveis, mas são poucos no tema de Virtualização de Servidores: este tema tem uma participação expressiva entre os profissionais das empresas do setor de infra-estrutura (energia, transportes, etc.).