Tempo de atuação profissional em TI e outras áreas

 

Perguntamos aos candidatos sobre seu tempo de atuação na área de TI. Constatamos que aproximadamente três quartos dos participantes atuam na área há mais de 10 anos.

 

 

Em seguida perguntamos aos profissionais sobre quanto tempo trabalharam em outras áreas que não a TI, antes de ingressar na área. As respostas indicam que cerca de um terço dos profissionais nunca trabalharam em outra área, enquanto outra metade o fez por no máximo cinco anos. É, portanto, cada vez mais raro termos profissionais migrando para a área de TI depois de uma longa carreira em outras atividades.

 

 

Tempo de ocupação do cargo atual

 

Quando pedimos para que os profissionais informassem há quanto tempo ocupam o cargo atual. Comparando com o tempo de atuação na área, verificamos que, em média, dois terços dos profissionais com mais de dez anos de mercado, foram promovidos nesses últimos dez anos (entretanto, metade deles – ou um quarto do total da amostra - esperou mais de cinco anos por uma promoção).

 

 

Hobbies, passatempos, futebol

 

A pesquisa também cobriu aspectos relacionados às atividades e preferências pessoais dos profissionais de TI. Em relação ao uso de seu tempo livre, constatamos que as atividades preferidas são sair com a família, viajar e praticar esportes. Entretanto, surpreende que quase um terço dos profissionais dedicam seu tempo de lazer a Internet. Observamos que a soma das respostas ultrapassa os cem por cento, porque foi permitido escolher mais de uma resposta.

 

 

Em relação aos times de futebol para os quais os profissionais de TI entrevistados torcem, observa-se um amplo predomínio de times paulistas. Em particular, comparando com a edição anterior da pesquisa, eles ampliaram sua participação. O mesmo se aplica a Grêmio e Vasco, caindo a soma de todos os Outros.

 

Dados de 2009

 

 

Dados de 2001

 

 

Marca do carro

 

Em relação ao modelo de carro que possuem, também observamos algumas variações: modelos como Escort, Golf, Siena e Uno deixaram de estar entre os preferidos dos profissionais de TI, para serem substituídos por Civic, Palio e Polo.

 

Dados de 2009

 

 

Dados de 2001

 

 

Educação formal

 

Em relação ao nível de educação formal dos entrevistados, observamos um aumento muito grande no número de profissionais com pós-graduação.

 

Dados de 2009

 

 

Dados de 2001

 

 

A participação da escola privada como fonte de formação continua majoritária, e crescendo lentamente ao longo do tempo:

 

Dados de 2009

 

 

Dados de 2001

 

 

Promoções, empresas ao longo da carreira e regime de trabalho

 

Em relação à quantidade de promoções que os entrevistados receberam ao longo da carreira, também há uma variação importante em relação ao número de profissionais com um número maior de promoções.

 

Dados de 2009

 

 

Dados de 2001

 

 

A figura a seguir indica o número de empresas em que os profissionais atuaram ao longo de suas carreiras até o momento: contrariando a fama de ‘pulador de galho’ dos profissionais de TI, praticamente cinco sextos do total tiveram no máximo cinco colocações ao longo de suas carreiras.

 

 

Em relação ao tipo de regime de trabalho a que estão submetidos, constatamos que cerca de 70% trabalham em regime de contratação pela CLT. O outro terço se divide em outras formas de contratação, digamos “criativas”.

 

 

Domínio de línguas estrangeiras

 

Em relação ao domínio de línguas estrangeiras, considerando leitura técnica ou domínio mais avançado das mesmas, verificamos um volume de indicações muito elevado. Observamos, entretanto, que a leitura técnica pressupõe um nível bastante elementar de conhecimento do idioma.

 

Dados de 2009

 

 

Dados de 2001

 

 

Utilização da internet no trabalho e em casa

 

Quando perguntamos quantas horas por dia os profissionais utilizam a internet no trabalho, observamos que metade deles a utilizam mais de quatro horas por dia (em comparação, na pesquisa anterior, eram três horas)

 

Dados de 2009

 

 

Dados de 2001

 

 

Em seguida ao perguntar sobre o tempo de utilização da internet em casa, constatamos que metade dos profissionais usam mais uma hora em casa. Mas a outra metade dedica mais de uma hora, fora do expediente, ao acesso à Internet.

 

 

Treinamento profissional

 

Pedimos para que os participantes atribuíssem uma nota de 0 a 10 para a importância de treinamento profissional como ferramenta de evolução na carreira: os resultados indicam que o treinamento é considerado fundamental.

 

 

Perguntamos ainda sobre a média de dias que os profissionais passam em treinamento, a cada ano. Metade deles passam de 6 a 20 dias por ano em treinamento. Um quinto deles recebem no máximo 5 dias de treinamento, e um quarto deles passam mais de um mês por ano em treinamento.

 

 

Conclusões

A pesquisa permite afirmar que o universo dos profissionais de TI não está recebendo um número significativo de novos profissionais: diversos indicadores, como o tempo médio de experiência, o nível de formação e de renda aumentaram nos últimos anos numa proporção muito acima da evolução natural. Estas médias deveriam ser mantidas pelos valores dos novos profissionais entrantes no mercado. O fato que estas médias cresceram muito, indicam que os novos profissionais que estão entrando não conseguem evitar o “envelhecimento” da base de profissionais de TI no país.