Quantidade de PC’s instalados

A questão inicial, referente à quantidade de PCs instalados nas empresas onde os participantes trabalham, revela que cerca de metade das empresas tem um parque com 200 ou mais PCs.

Servidores

Em seguida perguntamos sobre a quantidade de servidores existentes na empresa. Neste caso constatamos que cerca de 40% das empresas tem 25 ou mais servidores instalados.

Ainda em relação aos servidores, perguntamos qual o percentual dos servidores que estão conectados a e/ou acessíveis pela Internet. Apenas 30% das empresas tem mais da metade de seus servidores ‘plugados’, e cerca de 10% das empresas ainda os mantêm totalmente desconectados.

 

Sistemas Operacionais

Quando inquirimos sobre os sistemas operacionais utilizados nos servidores, o retrato indica, em primeiro lugar, que em média as empresas utilizam dois deles. A Microsoft foi citada por cerca de três quartos das empresas, enquanto o Linux foi citado por cerca de metade dos participantes.

Antivírus

Na questão sobre Antivírus utilizados nas Estações de trabalho, notamos a liderança da Mcaffee, seguida de perto pela Symantec e a AVG.

Já quando Perguntamos sobre o uso de Antivírus que nos Servidores, a posição da AVG fica bem mais distante dos líderes, entrando em terceiro lugar a Trend. É importante observar que cerca de 20% dos participantes optaram por manter em sigilo esta informação.

Antispam e Firewall

Em relação ao uso de Antispam, os players são basicamente os mesmos do que no caso dos antivirus, embora num nível cerca de 5% menor. A citação do Linux como um produto desta categoria certamente indica um desconhecimento dos detalhes por parte de alguns profissionais, provavelmente por pertencer a equipes diferentes daquelas que cuidam diretamente da segurança.

Este fato fica ainda mais patente no caso dos Firewalls, onde o Linux acabou ficando como líder, seguido por soluções que se alternam entre hardware e software. Entretanto, na soma das soluções, o volume de empresas que optam por soluções em software supera as que optam pelo hardware.

Profissionais de TI

Perguntamos também sobre o número de profissionais de TI que trabalham nas empresas dos entrevistados. Metade deles afirmaram pertencer a equipes compostas por 16 ou mais profissionais.

Em seguida cruzamos as respostas daquestão anterior com o número de PC’s utilizados nas empresas. Os resultados indicam uma correlação já esperada entre o número de PCs e o de profissionais.

Perguntamos ainda sobre o número de Profissionais de Desenvolvimento que trabalham na empresa. Um terço das empresas possui onze ou mais destes profissionais nas suas equipes de TI.

Na questão sobre Plataforma de Desenvolvimento, identificamos a coexistência de várias plataformas nas empresas: a soma dos percentuais das várias plataformas é maior que a dos sistemas operacionais nos servidores!

Planos de contingência

Ao perguntar se a empresa dos entrevistados possui um plano de contingência formalizado, de conhecimento de todos os profissionais da área de TI, verificamos que este percentual está próximo da metade. Em outras palavras, pouco mais da metade das empresas ainda não possuem um plano com estas caracteristicas.

Perguntamos também se a empresa possui servidores remotos espelhados, que possam assumir a operação da empresa no caso de os servidores principais falharem por qualquer razão. Cerca de 40% das empresas dispõe desta facilidade.

Finalizamos colocando uma situação hipotética para os profissionais, caso um vírus novo penetre em seus servidores, inutilizando-os completamente do ponto de vista software (mas sem danos físicos), em quanto tempo você considera que sua empresa teria condições de voltar a operar com normalidade todos os seus sistemas? Mais da metade dos profissionais acredita que voltaria a operar normalmente em menos de 24 horas.