Erguida a bandeira do pacto federativo

Logo depois de promulgada a Constituição de 1988, o pacto federativo desenhado na Constituinte — a divisão das receitas tributárias do País e das obrigações de cada esfera de governo — já começou a ser questionado. Lá se vão 24 anos de críticas e choradeiras. Mas nem a reforma tributária avançou — que é apenas um pedaço desse acordo —, o pacto permanece basicamente o mesmo. Agora, com a proximidade da corrida presidencial, o assunto ganha força.

Ainda mais que a revisão do tamanho das responsabilidades dos governos estaduais e municipais perante a população em áreas essenciais (educação, saúde, etc), bem como da divisão do “bolo tributário”, foi levantada pelo governador de Pernambuco e presidenciável do PSB, Eduardo Campos. A oposição também é simpática à causa e, em breve, a presidente Dilma deve empunhar a bandeira para não ficar atrás.

[...]

Nos dois extremos

Cerca de 30% das empresas de tecnologia no Brasil faturam acima de R$ 100 mil ao ano por profissional, aponta censo realizado pela Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, junto com a MBI e a Monkey Survey. Do total, as que faturam até R$ 25 mil representam 4,6%, enquanto as que faturam acima de R$ 1 milhão são 4,2%.

Publicado originalmente em
http://www.dci.com.br/opiniao/plano-de-voo-erguida-a-bandeira-do-pacto-federativo-id327374.html