As empresas de TI do Brasil projetam um 2012 de crescimento: de 285 companhias ouvidas para o primeiro censo do setor realizado por Assespro e MBI, 60% preveem encerrar o ano com aumento entre 10% e 50% no faturamento.

O levantamento foi feito entre maio e julho, com empresas de 19 estados, sendo 21,8% com sede no Paraná, 16,8% em São Paulo e 11,9% em Minas Gerais – locais com maioria de entrevistadas.

Do total pesquisado, 34% esperam encerrar 2012 com aumento de 10% a 25% do faturamento, enquanto 25,3% preveem alta de 25% a 50%.

Entre as mais otimistas, 11,9% projetam um avanço entre 50% e 100%, enquanto que 7% preveem mais que dobrar de tamanho em 2012.

NA CONTRAMÃO

Do lado contrário, mesmo com as previsões de desaceleração da economia brasileira, apenas 9,2% das empresas apresentam estimativas de estabilidade ou redução do faturamento.

Entre as empresas consultadas, 6% esperam diminuir o faturamento até 5%, ao passo que 3,2% projetam recuo de 5% a 50%.

EXPORTAÇÕES ESCASSAS

Conforme o estudo, as exportações não fazem parte da realidade da grande maioria das empresas do setor.

Do total de ouvidas, 81,1% não exportam.

TIME

Das empresas ouvidas, 45,6% possuem entre um e oito profissionais de desenvolvimento e 58,2%, de um a oito profissionais de TI no quadro de colaboradores.

Considerando o nível de graduação das equipes, os dados preliminares do censo revelam que 37,2% das companhias não possuem nenhum profissional pós-graduado, 31,2% têm entre um e dois funcionários com este nível de escolaridade e 6,3% têm mais de 15 pós-graduados.

Em relação aos profissionais com nível superior, o levantamento mostra que 58,2% das empresas empregam de um a 15 graduados e 6% não contam com nenhum.

CERTIFICAÇÕES

Segundo a apuração, 28,4% das companhias não possuem profissionais certificados e o mesmo percentual mantém de um a dois com esta classificação.

MPS.br À FRENTE

Em relação às certificações empresariais, a mais comum é a MPS.br, níveis E a G, presente em 15,4% das empresas (nos níveis A a D, somente 3,2% são certificadas).

Em seguida, vem a ISO 9000, com 13%.

O CMMi, níveis 2 ou 3, está presente em 6,7% das ouvidas.

CLIENTES

O censo mostra que 23,2% das empresas não possuem nenhum cliente com faturamento acima de R$ 60 milhões, enquanto 39,3% delas têm entre um e oito clientes nestas condições.

Do total pesquisado, 46,7% possuem entre um a 15 clientes com faturamento de R$ 3,6 milhões e R$ 60 milhões.

Já 53,3% atendem de 1 a 120 clientes com faturamento anual entre R$ 360 mil a R$ 3,6 milhões.

MICROSOFT NA MAIORIA

O censo também identificou ferramentas de TI usadas pelas empresas do setor.

A maioria, 85,3%, utiliza como sistema operacional a família Microsoft, enquanto que o Linux esta presente em 49,1%1 das empresas.

A família Apple aparece na quinta colocação, presente em 14,7% das organizações.

Com relação aos sistemas de gerenciamento de bancos de dados, a família SQL Server lidera com 58,2%, seguida pelos licenciados como software livre, com 53%.

Republicado a partir de
http://www.baguete.com.br/noticias/15/08/2012/empresas-de-ti-preveem-crescer-ate-50