As empresas do setor de TI estão otimistas com relação aos seus desempenhos neste ano. Para quase 60% delas, a previsão é de encerrar 2012 com aumento entre 10% e 50% no faturamento, segundo dados do Censo do Setor de TI realizado pela MBI em parceria com a Assespro (Associação das Empresas de Tecnologia da Informação). A apuração foi feita entre maio e julho e contou com a participação de 285 empresas, de 19 estados brasileiros, sendo 63% delas desenvolvedoras de softwares e 55% que atuam com software sob encomenda.

O levantamento ainda aponta que 34% das companhias esperam encerrar o ano com aumento de 10% a 25% no faturamento, enquanto que 25,3% preveem um aumento de 25% a 50%. Entre as mais otimistas, 11,9% projetam um avanço entre 50% e 100%, enquanto que 7% estimam mais que dobrar de tamanho este ano.

Por outro lado, mesmo com as previsões de desaceleração da economia brasileira, apenas 9,2% das empresas apresentam estimativas de estabilidade ou redução do faturamento. Entre as empresas consultadas, 6% esperam crescer ou diminuir o faturamento até 5%, enquanto que 3,2% preveem recuo de 5% a 50%.

Outro ponto abordado foi o das exportações, que, embora ainda não façam parte da realidade da grande maioria das empresas do setor - segundo o levantamento, 81,1% não exportam – algumas já conquistaram retorno ao exportar seus produtos. “Atualmente existem empresas em que metade da receita é advinda da exportação, algo que não existia há cinco, dez anos”, declarou Roberto Carlos Mayer, vice-presidente de comunicação e Marketing da Assespro-SP, durante a apresentação do estudo na 5ª Conferência da Qualidade de Software realizada nesta terça-feira, 14, em São Paulo.

As certificações também foram alvo da pesquisa. Segundo a apuração, apesar de toda a disseminação das certificações, 28,4% não possuem nenhum profissional certificado e o mesmo percentual (28,4%) mantém de um a dois profissionais certificados na empresa. Em relação às certificações empresariais, a mais comum é a MPS.br, níveis E a G, presente em 15,4% das empresas, seguida pela ISO 9000, com 13%. Já a CMMi, níveis 2 ou 3, está presente em 6,7% das empresas, enquanto que apenas 3,2% possuem a certificação MPS.br, níveis A a D.

O Censo procurou identificar também as ferramentas utilizadas pelas empresas de TI. A maioria, 85,3%, utiliza como sistema operacional a família Microsoft, enquanto que o Linux esta presente em 49,1% das empresas. A família Apple aparece na quinta colocação, presente em 14,7% das empresas.

Republicado a partir de
http://www.tiinside.com.br/14/08/2012/maioria-das-empresas-brasileiras-de-ti-espera-crescer-entre-10-e-50-este-ano/ti/293897/news.aspx