Linkedin: a principal mídia social dos negócios

O Linkedin é de longe a principal mídia social dos negócios. Com mais de 46 milhões de membros é a maior rede colaborativa focada em negócios. Só no Brasil tem mais de 1 milhão e cresce rapidamente como todas as mídias sociais do país.

Se você tem mais de 22 anos e precisa escolher apenas uma mídia social... essa é com certeza a sua melhor escolha! Através do Linkedin você pode ampliar seu campo de atuação profissional, conseguindo desde um emprego/trabalho até obter informações estratégicas. A rede de relacionamentos profissionais tem uma ferramenta que permite encontrar qualquer pessoa ou assunto através dos múltiplos filtros que o Linkedin gera. Você pode fazer um curso, realizar um trabalho, pedir ajuda e até contratar alguém de uma forma fácil e eficaz.

O ideal seria que as faculdades/universidades ensinassem, já no primeiro ano, a criar um perfil no Linkedin. Sendo essa uma importante ferramenta de trabalho para qualquer área, seu uso deveria ser incentivado nas instituições de ensino.

Em números

Lançado em maio de 2003 por 5 pessoas (fundadores) que convidaram 350 amigos, em apenas 1 mês ganhou 4.500 adeptos. No final do ano já eram 81.000 pessoas conectadas e ao final de 2004, o número subiu espantosamente para 1.6 milhões de membros. E como toda rede social que dá certo, o crescimento continuou rapidamente: 4 milhões em 2005, 8 milhões em 2006, 15 milhões em 2007, 33 milhões em 2008 e 46 milhões de membros até agosto de 2009.

Tipos de Plano

A conta pessoal (mais comum) é gratuita. Existem mais 3 categorias pagas: a Premium Business (US$ 25/mês), a Premium Business Plus (US$ 45/mês) e a Pro (US$ 500/mês). A principal diferença é o acesso à base de 46 milhões de membros que a Pessoal não permite. Outros recursos de busca e referências também são diferenciais.

LinkedIn por quem entende

Eu entrei no Linkedin em maio de 2004, através de um dos primeiros e mais famosos membros brasileiros: Roberto Mayer, presidente da MBI e da Assespro São Paulo. Mayer está no LinkedIn desde março de 2003 e tem atualmente quase 13 mil conexões diretas, que lhe dão acesso indireto a uma rede de quase 20 milhões de pessoas. “Sem o LinkedIn, eu não teria acesso a estas pessoas de forma quase instantânea”, explica.

Eu lhe pedi algum exemplo de como o Linkedin o ajudou, e ele respondeu: “Quando vejo um assunto que me interessa se desenvolvendo em qualquer parte do mundo, consigo chegar às pessoas envolvidas pelo LinkedIn em poucas horas.”

Para quem quer entrar no LinkedIn, Mayer recomenda que se dedique-se a fazer crescer sua rede de contatos. “Não se conecte apenas com quem você de fato conhece muito bem, para evitar que sua rede lhe dê acesso apenas às mesmas pessoas das quais você já tem o telefone celular”, orienta. Há 5 anos ele já dava a dica dessa rede em artigo publicado na Revista Information Week.

Passo a passo

Abra um perfil (conta pessoal) no Linkedin e preencha cuidadosamente todos os campos antes de chamar alguém. Lembre-se que o foco é profissional, portanto coloque apenas informações pertinentes.

Escolha uma boa foto porque ela será a primeira impressão que você irá causar. Adicione 1 ou 2 contatos que são seus amigos e estejam a mais tempo no Linkedin. Peça para que eles dêem sugestões ao seu perfil. Depois disso, comece a navegar pelo Linkedin com o objetivo de aprender sobre a ferramenta e visitar outros perfis.

Depois de familiarizado comece a convidar, pouco a pouco, pessoas do seu relacionamento e faça um texto personalizado para cada um deles. Recomece a sua pesquisa de aprendizagem navegando diariamente pelo site.

Depois de algum tempo, quando se sentir familiarizado com o ambiente, você perceberá qual a estratégia a ser adotada. Você pode manter um círculo pequeno de contatos deixando claro que são todos muito próximos, pode ampliar (como sugere o Mayer) para ter acesso a uma rede muito maior de contatos, pode abrir áreas de trabalho e participar de grupos de interesse. Com o tempo você pode perceber vantagens em abrir uma conta Premium e ter uma participação mais ativa. O importante é estar sempre pesquisando e aprendendo sobre essa importante ferramenta de relacionamentos profissionais.

Conteúdo republicado a partir de http://www.itu.com.br/noticias/detalhe.asp?cod_conteudo=19675