Estudo traça perfil do profissional brasileiro de TI

SÃO PAULO - Apesar de ser uma área em franca expansão no mundo todo, o universo de profissionais de Tecnologia da Informação (TI) não está recebendo um número significativo de novos profissionais, diferentemente do que se imaginava. Ao menos esta é a conclusão de uma pesquisa encomendada pela Impacta Tecnologia à MBI, uma empresa focada na geração de informações sobre e para o mercado de Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC).

A pesquisa sobre o perfil do profissional de TI foi aplicada em 100 empresas de diferentes segmentos instaladas no País. Foram avaliadas questões como tempo de atuação profissional no mercado, escolaridade, tipo de regime de trabalho, domínio de idiomas e outros pontos. Com relação ao tempo de atuação profissional em TI , 75,8% dos entrevistados atuam neste ramo há mais de 10 anos e 12,8% têm de 8 a 10 anos no setor. Menos de 1% entrou no segmento há um ano.

Questionados sobre quanto tempo trabalharam em outras áreas que não a de TI, o resultado indica que cerca de um terço dos profissionais (31%) nunca trabalhou em outra área, e que 42% atuaram em outro setor no máximo 5 anos antes de migrar para a TI. "O setor evoluiu muito nos últimos anos no Brasil", disse Célio Antunes, do Impacta.