Profissionais de TI carecem de planejamento de carreira

Pesquisa do Exin e MBI mostra que mais da metade (58,9%) das empresas não têm esse tipo de estratégia de gestão em TI

Mais da metade - 58,9% - das empresas brasileiras não têm planejamento de carreira para profissionais de tecnologia da informação. Esta foi a principal conclusão do estudo Perspectiva do Investimento no Profissional de TI, realizada pela MBI, de Roberto Mayer, para o instituto de educação em TI Exin.

Para Luciana Abreu, gerente regional do Exin no Brasil, os dados mostram que a área de TI não se preocupa com uma estratégia de desenvolvimento profissional, o que acontece em outras unidades dentro de uma mesma organização. A pesquisa também mostra que em 39% das empresas a maior parte do investimento na profissionalização da TI destina-se a treinamentos técnicos para suprir necessidades imediatas.

A pesquisa detectou um perfil do profissional de TI com boa qualificação no mercado nacional, em que 45% deles possuem pós-graduação em informática ou adminsitração e alto grau de experiência. A maioria - 65% - têm entre 11 e 30 anos de mercado, e 34,4% falam inglês fluente.

O estudo também mostra que 43,3% das empresas cujos profissionais foram entrevistados possuem CIOs; destes, 13,3% têm entre 11 e 30 anos de casa, mesmo tendo ocupado outras funções anteriormente, e 10,6% estão há cinco anos, no máximo. Luciana, do Exin, conclui que este cenário aponta um mercado que dá oportunidade para quem está há mais tempo na companhia.

A pesquisa foi feita com 180 profissionais de TI de cargos de média gerência e subordinados, entre agosto e setembro de 2008. Um terços dos respondentes atua em empresas da indústria de TI, e o restante na área de TI de empresas de diversos segmentos, com amostra de cobertura nacional. A margem de erro chega a 6,8%.

Notícia republicada a partir de http://www.itweb.com.br/noticias/index.asp?cod=52265