Apenas 26% das empresas brasileiras exportam software

Apesar de crescimento em relação aos últimos anos, indústria investe pouco em qualidade e não atinge nível exigido por mercados maduros

Estudo mostra que 72% das empresas têm foco no mercado brasileiro, e apenas 26% delas mantém atividade de exportação. “Apesar disso, houve uma significativa evolução em relação a três anos atrás, quando o índice de brasileiras que vendiam software para o exterior ficava entre 3% e 4%”, comenta Roberto Carlos Mayer, diretor da MBI e presidente da Assespro-SP.

O estudo foi realizado com as 50 maiores empresas brasileiras de software, pela MBI, em colaboração com a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Software e Internet (Assespro – São Paulo) e do Instituto de Tecnologia de Software (ITS).

Ao analisar as atividades de exportação de tais empresas, a pesquisa revela uma presença significativa de países ibero-americanos, com México, Argentina, Espanha e Portugal entre os de maior representatividade no percentual de vendas ao exterior. A ausência de exportação para Europa (com exceção de Portugal e Espanha) e o baixo índice, de apenas 6% de empresas que vendem para os Estados Unidos, significa que as brasileiras necessitam de uma evolução na qualidade dos produtos para atingir o mínimo requerido pelos mercados maduros, face a um alto potencial presente neste cenário, na opinião de Mayer.

Conteúdo republicado a partir de http://www.itweb.com.br/noticias/index.asp?cod=28875